Olá!

Aqui você encontra vários tipos de textos. São reflexões, introspecções, filosofadas e relatos, tudo sob a luz do mosaico. Desejo inspirar você com a mesma arte que me inspira.

Se quiser conhecer os mosaicos que faço, visite minha fanpage "Lucano Mosaico" no Facebook, onde há fotos de tudo o que já foi feito por mim. :-)

Se deseja adquirir um mosaico, visite minha Loja Online no site Etsy (clique AQUI).

Para entrar em contato comigo basta deixar um comentário aqui no Blog. Você também pode entre em contato pelo e-mail: avertamatti@yahoo.com ou interagir no Facebook.

Hoje o dia nasceu azul.

    Disposição para ver o belo. Foi assim que acordei hoje. A caminho do correio tudo brilhava sob a luz branca do sol. Árvores, plantas, flores (generosas!!!!), pássaros, tudo mostrava um nível máximo de vida e energia. A coisa estava tão séria que fiquei sensível à beleza das pessoas. Por exemplo, a funcinária dos Correios, que sempre é muito simpática, estava diferente. Acho que mudou a cor do cabelo e sua pela ficou reluzente. Usando colar, brincos, pulseiras e muitos anéis passava a menssagem de que é alguém que se gosta e deseja estar bela para atender os clientes. Sua colega de bancada, de modo um pouco diferente, também emanava a mesma vibração com uma grande flor na cabeça combinando com a cor do esmalte que usava.
    Tudo no caminho tinha esta cintilância. Ok, quase tudo. A moça que jogou a bituca de cigarro acesa na sarjeta momentos antes de quase ser atropelada por uma senhora que dava ré no carro como se fosse a única habitante do planeta não traduzia a mesma poesia do entorno. Enquanto estas pessoas ignoravam o movimento da vida, num afrontamento pacífico à tendência comum que conduz em direção ao belo e ao humanizado, eu me perguntava o que faz com que existam dias nos quais temos esta capacidade de percepção. É bom se sentir assim, quando tudo fala com você e o pulsar desta energia favorável pode ser constatado, quando você percebe valiosos aprendizados com a manifestação daquilo que te rodeia.
    Percebo que é diferente do mundo de Pollyana. Trata-se de colocar atenção nos pontos que te alimentam (no meu caso, a natureza, a gentileza), internalizá-los para que te inspirem em outros momentos, quando estes mesmos elementos estiverem escassos. Trata-se de ver o todo com naturalidade, afinal no mesmo mundo onde há sabiás que pulam na grama, há pessoas que jogam lixo no chão. O sabiá eu levo comigo, a falta de educação, não. Tudo passa diante de nossos olhos e a todo momento fazemos estas pequenas escolhas que refletem nossos anseios. Talvez aí já esteja a resposta.
    Este processo, aparentemente simples, requer maturidade e autoestudo para que possamos optar pelo que nos leva ao crescimento. É como escolher o que se vai comer. Se houver critério e esforço, consegue-se uma boa nutrição e saúde. Sem critério e com comodismo começam os problemas. Isto significa que no bastidores de todo prazer existe trabalho e dedicação. Seria pedir demais ter certa disciplina a fim de sentir-se bem? Tenho aqui para mim que é uma troca justa se a conquista se traduzir em dias mais azuis, amarelos, verdes, rosas, brancos...


5 comentários:

  1. Adriana, sou uma sortuda. Não sei se nasci assim, se aprendi a ser assim, mas sou assim. Sempre disposta a percepcionar o lado belo da vida e com alguma dificuldade e falta de paciência para os complicados e complicadores profissionais. Eu me dou sem medo, segura de mim, senhora do rumo que pretendo ver traçado, perita em mergulhar de cabeça e /ou, pelo contrário, realizar com a maior destreza a retirada estratégica que a situação impuser.
    Deve ser por isso que encontro tantas raridades, como o professor de inglês, apenas uma figura na galeria de tipos que coleciono.
    Acontece que eu não tenho medo, não tenho que defender nenhum território, porque, estou segura de mim e, por isso, as situações mesmo quando inusitadas, me interessam. Penso que isso tem um nome, é consciencialização. Eu sou mais eu e, se me apetecer, coloco uma flor nos cabelos, um anel em cada dedo e pulseiras subindo até ao cotovelo. E continuo a ser eu, sem nada perder da minha identidade.
    Quis aprender a ser assim e, como a matéria prima era favorável, deu no que deu.
    Vejo o arco íris com grande frequência.

    Outra peça linda!
    Beijos, beijos, beijos ...

    ResponderExcluir
  2. Antes de mais nada, ver a vida bela é uma condição do espírito e uma determinação interna de cada um. A vida se apresenta da forma como queremos e como nos condicionamos a ver. Assim, cabe a cada um o gerenciamento destas vontades. É evidente que como tudo que faz bem, não é fácil direcionar a visão para estas belezas diárias, mas, no meu ponto de vista, temos que tentar sentir e ver beleza mesmo onde não se encontra muita, afinal, nem todo dia é dia do belo, porém, agindo desta forma a vida tende a ficar mais afável certamente. Fico feliz por você compartilhar deste entendimento, acho que ganhamos muito com esta forma de ver a vida. Então, vamos aproveitar...

    ResponderExcluir
  3. Adriana da minha alma, tu me inspiras, querida.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Adriana, querida, assim você consegue o impossível:
    Me deixar sem palavras.
    Obrigada, flor.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada pelo comentário, amore mio!
    Continuas vendo tudo azul.
    Beijo

    ResponderExcluir

Olá! Tenho muito interesse em saber a sua opinião sobre esta postagem. Obrigada pela sua visita!